Pariti e Textos andinos

Pariti mapaPARITI

Uma equipa de arqueólogos finlandeses e bolivianos está a trabalhar na ilha de Pariti, no lago de Titicaca, desde 2004, como parte do projeto Formações e Transformações das Identidades Étnicas nos Andes Centro Sul, 700-1825 d.C., dirigido pelo antigo diretor do Instituto Iberoamericano da Finlândia, Martii Pärssinen. No mesmo ano realizaram uma descoberta extraordinária de vasos de cerâmica da cultura pré-incaica de Tiwanaku. Os vasos achados na ilha de Pariti tinham sido partidos em rituais típicos da área andina, e os motivos revelam novas informações sobre a cultura Tiwanaku.

Equipa de Investigação
Antti Korpisaari (Helsínquia)
Martti Pärssinen (Helsínquia)
Jedú Sagárnaga Meneses (Universidad Mayor de San Andrés, Bolivia)

Publicações selecionadas
Korpisaari, Antti & Pärssinen, Martti (eds.) 2005. Pariti: isla, misterio y poder: el tesoro cerámico de la cultura Tiwanaku. La Paz: República de Bolivia.

Korpisaari, Antti 2006. Death in the Bolivian High Plateau: burials and Tiwanaku society. Oxford: Archaeopress. (BAR international series; 1536)

Korpisaari, Antti & Pärssinen, Martti 2007. Retratos en cerámica: vasijas de cerámica del lago Titicaca. In ¡Descubrimiento! Los nuevos tesoros de la arqueología salen a la luz (ed.) Brian M. Fagan. Barcelona: Art Blume, pp. 148-149. (Versión en inglés Discovery! Londres: Thames & Hudson.)

Patrocinadores
Consejo Europeo de Investigaciones Sociales de América Latina
Dirección Nacional de Arqueología de Bolivia
Emil Aaltosen säätiö
Universidade da Helsínquia
Suomen Kulttuurirahasto

[divider scroll_text=”Voltar ao início”] [space height=”20″]

Textos Andinos Fig 14TEXTOS ANDINOS
Os primeiros cronistas espanhóis mencionaram regularmente que os incas memorizavam assuntos importantes dos povos e a atividade estatal inca, mediante a utilização de curiosos nós atados em cordas coloridas. De facto, entre os povoadores andinos, estas cordas ou khipus continuaram em utilização até 1583, ano em que o III Conselho de Lima decretou a sua total proibição. Desde então, os investigadores têm vindo a discutir se o sistema de khipus constituía um tipo de escritura ou se era um mero sistema mnemónico. Surpreendentemente, os textos que se encontram nos arquivos receberam muito pouca atenção na discussão geral, ainda que estos textos estejam baseados nos nós e cordas referidos. Os textos arquivísticos conformam uma das fontes mais autênticas e importantes sobre a história indígena dos países andinos.

No projeto Textos Andinos, o antigo diretor do Instituto Iberoamericano da Finlândia, Martti Pärssinen, e o investigador Jukka Kiviharju recoletaram, transcreveram e analisaram numerosos textos baseados nos khipus. Localizaram os textos em vários arquivos (por exemplo, no Arquivo Geral de Índias de Sevilha, ou no Arquivo Departamental de Cuzco) e nas fontes publicadas. As transcrições e as traduções espanholas dos khipos demonstram claramente que escrever por meio de cordões atados era um atividade possível que se praticava na área andina. Os resultados da análise apoiam a hipótese de que a maioria dos khipus funcionaram como um sistema ideográfico, inteligível, sem conhecimentos prévio de algum idioma em particular, mas também, há evidências que os textos incluíam elementos fonéticos, especialmente na codificação de nomes de pessoas e topónimos.

No âmbito do projeto publicaram-se duas obras, a primeira inclui 22 textos ou memórias baseados nos khipos e suas representações. A segunda inclui 43 textos. A publicação do terceiro volume está em preparação.

Equipa de Investigação
Martti Pärssinen
Jukka Kiviharju

Publicações
Pärssinen, Martti & Kiviharju, Jukka 2004. Textos Andinos. Corpus de textos khipu incaicos y coloniales. Tomo I. Madrid: Instituto Iberoamericano de Finlandia & Universidad Complutense de Madrid. (Acta Ibero-Americana Fennica. Series Hispano-Americano 6)

Pärssinen, Martti & Kiviharju, Jukka 2005. Khipu Accounting Practices. Science 23, December 2005: Vol. 310 no. 5756: 1903-1904.

Pärssinen, Martti & Kiviharju, Jukka 2010. Textos Andinos. Corpus de textos khipu incaicos y coloniales. Tomo II. Madrid: Instituto Iberoamericano de Finlandia & Universidad Complutense de Madrid. (Acta Ibero-Americana Fennica. Series Hispano-Americano 9)

Patrocinador
Suomen Kulttuurirahasto

[divider scroll_text=”Voltar ao início”] [space height=”20″]
Tem de iniciar a sessão para publicar um comentário.
Menu