Fazenda Colorada (Brasil) Foto: Martti Pärssinen

Fazenda Colorada (Brasil) Foto: Martti Pärssinen

Diversidade unida: paisagem monumental, localidade e dinâmica de culturas na Amazónia ocidental pré-colombiana.

Nas últimas décadas do século XX, a exploração massiva de árvores transformou a paisagem da Amazónia brasileira e tornou visíveis geoglifos de formas geométricas. Desde 2002, uma equipa de científicos brasileiros e finlandeses estuda os geoglifos tanto com a ajuda de imagens de satélite como sobre o terreno na área da Amazónia ocidental. Os últimos estudos da equipa poem em evidência a existência de uma sociedade pré-colombiana desenvolvida, anteriormente desconhecida para a ciência, que construiu os geoglifos e os uniu mediante estradas antigas.

Geoglifos na Selva Amazonas

Diversidad Unida tem como objetivo estudar e chegar a entender esta civilização, previamente oculta para o mundo científico. O objetivo primário do projeto é reconstituir os processos culturais, económicos, étnicos e demográficos implicados no nascimento dos geoglifos na Amazónia ocidental. O objetivo secundário é cooperar com as universidades brasileiras colaboradoras na formação de estudantes de arqueologia e informar aos habitantes e autoridades locais dos depósitos e o seu valor como herança cultural. O antigo diretor do Instituto Iberoamericano da Finlândia, Martti Pärssinen, dirige o projeto financiado pela Academia da Finlândia.

O projeto usa uma metodologia multidisciplinar, combinando métodos e teorias de arqueologia, antropologia, sociologia, linguística, paleontologia, geologia, paleobotânica, paleozoologia e história.

Os achados e as investigações posteriores despertaram muito interesse internacional. Os resultados do período anterior de investigação (2005-2008) foram amplamente notados em publicações científicas e meios de comunicação. (Science, Vol. 321. no. 5893, pp. 1148 – 1152; The New Yorker, Times, Sunday Times, Beijing today, US Today, The Guardian, Die Welt, National Geographic, Der Spiegel, Clarín, Mercurio, Folha de Sao Paulo, ABC etc.).

Equipa de Investigação
Martti Pärssinen, Universidad de Helsinki
Sanna Saumaluoma, Universidad de Helsinki
Pirjo Virtanen, Universidad de Helsinki
Alceu Ranzi, Universidade Federal do Acre, Brasilia
Denise Schaan, Universidade Federal do Pará, Brasilia
Antonia Barbosa, Federal University of Acre
Sidney da Silva Facundes, Universidade Federal do Pará, Brasilia

Colaboradores
William Balée, Tulane University (inventário da vegetação sobre os geoglifos)
William Woods, Kansas University  (análise dos solos)
Matti Räsänen, University of Turku  (análise dos solos)
Jose Iriarte, University of Exeter  (paleobotânica)

Mais sobre os geoglifos:

Publicações selecionadas
Pärssinen, Martti & Antti Korpisaari (eds.) 2003. Western Amazonia. Multidisciplinary Studies on Ancient Expansionistic Movements, Fortifications and Sedentary Life. Helsinki: Renvall Institute.

Schaan, Denise; Ranzi, Alceu & Pärssinen, Martti (eds.) 2008. Arqueologia da Amazônia Ocidental: os Geoglifos do Acre. Belem: EDUFPA.

Pärssinen, Martti; Denise Schaan & Alceu Ranzi 2009. Pre-Columbian geometric earthworks in the upper Purus: a complex society in western Amazonia. Antiquity 83(321): 1084-1095.

Saunaluoma, Sanna 2010. Pre-Columbian Earthworks in the Riberalta Region of the Bolivian Amazon. Amazônica – Revista de Antropologia 2(1): 86-115.

Virtanen, Pirjo Kristiina 2011. Constancy in Continuity: Native Oral history, Iconography and the Earthworks of the Upper Purus. In Ethnicity in Ancient Amazonia: Reconstructing past identities from archaeology, linguistics, and ethnohistory (eds.) Alf Hornborg & Jonathan D. Hill. Boulder: University Press of Colorado.

Tem de iniciar a sessão para publicar um comentário.
Menu